21.8.08

esperar o dia inteiro, entrar, login, senha, 200 vezes, entrar e entrar, sair sem nada, não sei esperar, sou mimada, demoro, quero pressa dos outros.

depois vem me dizer que as coisas fazem sentido, a menina tem 21 anos e querem que ela se preocupe em sobreviver no mercado podre de trabalho, servir os outros, cumprir ordens encaixotada numa salinha amarela, vai tomar no seu, vai pra p, ah se eu tivesse aprendido a falar palavrões, eles existem por um motivo, não existe explicação, é f.
bom, mas aos covardes salas cinzas e frias, imagens distorcidas, falação, só, coisas, pedaços.
aos meus soltos que vou empurrando pelas costas, sai, vai por aí, olha o dia, os olhos, atravessa, pula sem medo, qualquer coisa estou aqui, enquanto eu viver sempre vou estar, mãos abertas em concha, braços ao redor, pra te segurar.
já era uma rabugenta, agora to ficando velha tbm ai ai