27.8.12

separação interna

a externa já se deu e de um jeito meio atrapalhado vai indo...
mas como é difícil separar aquilo que está dentro
espalhado em mim
guardado com tanto carinho na memória
palavras de anos atrás
e-mails cheios de diminutivos
ridículos
cheios de amor
como é que separa da lembrança quente
do sorriso suave
terno
do amor que preencheu tanto
e hoje é frio
é gelo
é falta
do sentimento indefinido que fazia nossas mãos encaixarem
e aos poucos a vida vai desenformando
vamos ficando prontos
acabamos outros
continuamos soltos
por caminhos que não se encontram mais
tempos diferentes
corpos ausentes
o que os olhos não vêem
o coração não sente

oh mentira!



Nenhum comentário:

Postar um comentário