25.10.12

escolhas possíveis

o corpo dói
e a febre chega mais forte
em reflexo da falta, que lateja em vão nos meus pensamentos
esses chegam rápidos
inesperados
tento afastá-los
mas são teimosos
como o amor, que está aqui dentro e insiste em ficar

você já foi, eu sei
mesmo antes de dizer tchau
sempre posso contar com sua rapidez nesses momentos
melhor de uma vez
numa punhalada

o corpo logo não se segura
entrega as forças
e queima a pele pálida
com sombrios arrepios

vou me encolhendo tentando voltar
penso em te ligar
e perguntar mais uma vez 
por que mesmo?
quando foi que tudo desabou?
tinha que ser assim?
a culpa é toda minha!

e num suspiro de lucidez retomo a razão
o fim é necessário
a lição ainda não foi aprendida
simplesmente não posso continuar precisando assim tanto de você

chora, chora mesmo
mas vai aprender a respirar o próprio ar
a se virar no mundo
contar com a sorte
ser inteira
não esperar tanto
ser livre
e não desejar mais que a medida do coração são

aprende a cada instante lento e inteiro
que o tempo é seu
e está escorrendo das mãos nos sentidos de suas escolhas
certas ou erradas,
que sejam possíveis


2 comentários:

  1. Dona Yuna, dona Yuna...

    ResponderExcluir
  2. Sabe, sonho com o dia que vou me desprender da covardia e ser INTEIRA... Te admiro, muito.

    ResponderExcluir