27.12.10

O Ano Novo Perfeito

A mensagem de ano novo perfeita... uma colcha de retalhos floridos, coloridos, multicolor-fluorescentes, cheioos de estrelinhas, jujubas, luzes, floquinhos de neve, chuva, lágrimas, muitos sorrisos, gargalhadas excêntricas, alegrias, tudo de um pouquinho do muito que existe dentro de nós e que nos permitimos compartilhar por aqui, por nossos encontros, nossas festas de natal e de aniversários, nossas festas de se encontrar porque é gostoso passar o tempo juntos, conversar e comer cachorro quente!!! rsrs

A mensagem de ano novo perfeita para um ano novo perfeito, porque um ano novo perfeito e ter todos vocês na minha vida, é existir num mundo em que vocês existem, seguir um caminho em que posso encontrar tantas pessoas queridas, saber que o mundo só pode ser melhor porque é feito do que vocês são e serão, e vocês são muito, são demais, vocês arrasam!!! orgulho total de mãe, irmã, filha, amiga, mulher, companheira, mil e uma facetas, todas felizes e orgulhosas por vocês existirem!!!

Felicidade, amor, cumplicidade, tudo o que é bom e faz bem para o coração só existe, só é real se compartilhado... OBRIGADA!!!!

A mensagem perfeita=Psichromos+oafetoeacidade+organizandoocaos+idiossynkrasia+carrocon+futilidadepoética+!!

bjos!!!!

20.12.10

Odisséia

eu te amo, essa é a única certeza que eu tenho.


a vida é feita de escolhas e momentos e eu escolhi pensar a minha vida direito, acertar uns ponteiros que não estão batendo bem... pode ser mais complicado e difícil, mas eu não consigo viver de outro jeito... ir levando, vivendo, do jeito que for...


eu sinto amplificado e isso é bem complicado de lidar, pra vc e para mim.


não tenho nada resolvido, não quero terminar, mas não quero continuar se não me fizer bem.


portanto o que eu te peço é PACIÊNCIA, é a única coisa que posso te pedir, muita paciência, se vc estiver disposto e ter paciência eu poderei fazer esse caminho com vc, ir descobrindo o meu jeito de viver vivendo junto com vc.


não quero promessas, não quero grandes mudanças, só quero que vc tenha paciência e me aceite do jeito que sou, atrapalhada, boba, complicada, desengonçada, uma menina que quer ser mulher e aproveitar a vida, uma menina que precisa relaxar um pouco... pq não é fácil viver num mundo assim do jeito que é, sendo assim do jeito que sou, tão sensível, sonhadora e medrosa!!


quer me ver, eu também quero te ver, te beijar, ficar perto do seu coração, mas quero que vc me veja como sou de verdade, sem ficar tentando ser certinha, bonita e legal pra vc.


pode me achar boba, pode me achar desarrumada, pode olhar os machucados que faço em mim, mas por enquanto eu sou assim, e quero poder continuar assim, sem me sentir mal, até que eu possa e queira ser de outro jeito.


vc não precisa falar com todo mundo nem ser super social, nem eu sou assim. eu só quero que vc fale comigo e com o Caio, quando estivermos em qqr lugar eu só quero que vc esteja aberto pra mim e para o Caio... quem sabe vc pode aproveitar os momentos que temos juntos independente do lugar e das pessoas em volta....


se vc puder e quiser ter essa paciência toda, tenho certeza que quando agente tiver o nosso espaço vamos poder viver tranquilamente juntos, eu tbm não gosto de grandes festas e visitas o tempo todo, só preciso saber que vc me aceita do jeito que eu sou, e que de vez enquando pra poder continuar existindo eu preciso das pessoas que eu gosto perto de mim... e não posso abrir mão disso.


que vc acha!?


agente pode continuar juntos assim?

15.12.10

mais um pouco de fim, e mais, e mais, infinitamente mais....

pensar tanto pra chegar em lugar nenhum, tantas ideias, tantas possibilidades, quando chega o fim só fica a tristeza, o vazio, a dor no corpo e no coração...
depois de tantos quase fins, um fim com cara de verdadeiro, uma conversa atrás do computador uma quase conversa olho no olho. a despedida do que não foi, do sonho idealizado, da construção tão rica em detalhes de uma realidade para o meu inconsciente, ele acreditava tanto, talvez ainda acredite.
terminar é sempre difícil, fazer isso gradativamente, será que é mais fácil ou é tortura, deve ser tortura, pq desde a primeira conversa só consigo pensar em ir embora, não quero mais ficar aqui, não quero mais estar nesse corpo dolorido, não quero mais estar sujeita ao  frio que sinto no peito, no coração. Quero sair de mim.
Uma outra vida é possível longe daqui, no além, num outro plano, na morte. Quero tanto ir embora que sinto meu corpo amortecido como se já estivesse parando, dizendo pode ir embora alma, eu sou só uma carcaça, não se prenda a mim.
como está meu coração, como está o coração das pessoas, parando, o frio está congelando nossos corações... ele bate cada vez mais fraco.
não quero acordar, não quero me levantar, não sinto fome e nem vontade de nada, só sinto a fraqueza tomando conta de mim...
queria pegar uma pneumonia, sofrer um acidente e entrar em coma, queria desligar, queria parar de pensar, parar de sentir....
esse jeito amplificado de sentir as coisas está acabando comigo, sou pouca pra tudo isso, não dou conta, não quero dar.
eu só quero parar, não quero mais funcionar, quero ir embora daqui!!!

13.12.10

fim

Alguem na Live do Xbox??? diz:
bom dia pix"!


ela diz:
bom dia


Alguem na Live do Xbox??? diz:
brava ainda?


ela diz:
brava não... em dúvida.


Alguem na Live do Xbox??? diz:
dúvida pix?!


ela diz:
sim


Alguem na Live do Xbox??? diz:
então tá!


ela diz:
vc não se importa?


Alguem na Live do Xbox??? diz:
cada vez mais dificil neh!


ela diz:
ta difícil pra vc tbm, não está?


Alguem na Live do Xbox??? diz:
tá!


ela diz:
acho que agente se apegou tanto um no outro e não queremos nos largar... mas não temos quase nada em comum... dói pensar assim pq eu te amo muito...


Alguem na Live do Xbox??? diz:
também te amo muito!


ela diz:
estou em dúvida se agente foi feito um para o outro mesmo... vc não está?


Alguem na Live do Xbox??? diz:
não acredito muito nisso.... sei lá


ela diz:
no que vc acredita?


Alguem na Live do Xbox??? diz:
que as pessoas não foram feitas umas para outras, você faz, sei lá...


Alguem na Live do Xbox??? diz:
só porque uma pessoa gosta de ir pra praia e a outra também... nasceram uma para a outra! não faz sentido!


Alguem na Live do Xbox??? diz:
isso é um exemplo


ela diz:
não é bem isso, acho que agente não consegue ficar feliz juntos, qualquer coisa que fazemos juntos eu fico o tempo todo preocupada se vc está bem, se está ficando nervoso, e vc fica tenso, não relaxa, não olha o céu, não se sente bem e nem a vontade, isso acontece qdo estamos com outras pessoas, quando estamos só eu, vc e o Caio, e até mesmo, qdo estamos só nos dois... acho que vc tem medo de se soltar


Alguem na Live do Xbox??? diz:
vc não precisa ficar preocupada comigo... não vejo motivo para isso! se vc está se sentido bem, pra mim ta bom....


ela diz:
eu não consigo me sentir bem se vc não está, eu sempre quero aproveitar mais as coisas e vc sempre quer ir embora... isso acontece em quase todos os lugares q vamos, sozinhos ou acompanhados


Alguem na Live do Xbox??? diz:
agora eu te pergunto: que horas a gente tinha combinado de ir embora?


ela diz:
tudo bem, mas isso acontece em todas as situações... não foi a primeira vez.... lembra no casamento da Renata, em Monte Verde....


ele diz:
isso é verdade! vamos fazer o seguinte: vê ai o que você quer, quanto tempo você precisa para encontrar uma resposta para suas duvidas, se realmente é isso que você quer, ai você me fala! okay?!


ela diz:
não é assim que funciona... eu quero decidir junto com vc... não fale assim por favor...


ele diz:
eu sempre to errado! vou decidir o que?!


ela diz:
eu quero saber o que vc quer tbm, não é só minha responsabilidade decidir se vamos ficar juntos ou separados... nesse momento preciso de verdade que vc seja um pouco mais maduro...


ela diz:
pensa bem, vc é feliz do meu lado, vc se sente bem comigo?


ele diz:
claro!


ela diz:
pra ser bem sincera, acho que agente só se entende bem quando estamos só nós dois, dormindo juntos, quando levantamos já começamos a ter vontades diferentes...


ele diz:
pode até ser


ela diz:
e a vida não é só isso, até poderia ser muito boa se fosse, mas não é... o resto do tempo não me sinto bem e nem feliz, como resolvo isso? por favor me ajude a resolver isso...


ele diz:
eu sei que não é só isso! quando a gente não se sente bem com uma coisa, não se sente feliz, as pessoas costumam mudar! a maioria das pessoas que eu conheço faz isso!


ele diz:
se não to me sentindo bem com algo, eu mudo... vou dar um exemplo, trabalho por exemplo, se não to gostando, não to feliz, eu saio, mudo!


ele diz:
eu não quero que se sinta infeliz do meu lado o tempo todo!


ele diz:
é meu jeito, por mais que eu tente mudar, uma hora vai acontecer de novo!


ela diz:
vc não consegue mudar o seu jeito e eu não consigo mudar o meu, pra ser mais sincera ainda, eu não quero mudar o meu jeito... e como ficamos sabendo disso?


ele diz:
com o passar do tempo, convivendo, !


ela diz:
eu não quero passar o tempo me sentindo mal... eu quero ser feliz.


ele diz:
eu sei! eu quero que vc seja feliz mais que tudo nesse mundo!


ela diz:
desculpa, mas acho que não consigo ser feliz com você, te amo tanto, mas não consigo, tentei de todas as formas, mas não consigo... estou chorando muito agora, é muito difícil dizer isso...


ele diz:
eu imagino!


ele diz:
o que importa é que vc fique feliz....seja feliz...


ela diz:
eu não queria ser feliz sem vc...


ele diz:
nem eu! mas se vc não se sente bem... não adianta ficar tentando, vc acaba se desgastando!


ele diz:
acho que não tem muito o que fazer neh! acho que devemos terminar, mas precisamos conversar cara-a-cara...


ela diz:
mas quando estamos cara a cara vc não fala comigo...


ele diz:
sei lá não tenho muita coragem!


ela diz:
vc tem muito medo não tem? as vezes sinto que vc é tão fechado por medo... vc não quer se livrar desse medo todo?


ele diz:
verdade eu tenho medo mesmo!


ela diz:
e como vc vai ficar bem com todo esse medo?


ele diz:
deixa ele aqui, está bom assim! eu me viro... rs sempre fiz isso... não vai ser muito diferente...


ela diz:
eu quero que vc seja feliz tbm...


ele diz:
fica tranquila.... eu arrumo algum jeito...


ele diz:
o que importa é que vc fique bem... acho que roubei um bom tempo da sua vida


ela diz:
então vc está certo disso tudo que conversamos?


ele diz:
para seu bem, estou!


ela diz:
não roubou não, vou sentir muita falta de tudo isso que aconteceu... pra falar a verdade não sei como vou conseguir viver sem vc....


ele diz:
você é forte... vc consegue sim...eu sei!


ela diz:
e o que fazemos?


ele diz:
sobre o Ap, eu vendo e te dou metade! ai vc faz o que quiser com sua parte


ele diz:
da entrada em algo pra vc e o caio...


ela diz:
estou com medo dessa decisão.


ele diz:
não precisa! não tem o que ter medo!


ele diz:
na vida a gente tem que se desfazer de algumas coisas, para nos sentirmos melhor... não podemos brigar por tudo e nem com todos!


ela diz:
vc é muito valioso para mim.


ele diz:
vc é inquantificável pra mim!


ele diz:
mas a gente perde 10 pra ganhar 20....


ela diz:
vou sair... preciso parar de chorar antes que alguém perceba.


ele diz:
okay... marcamos um dia para conversar


ele diz:
beijos se cuida!


ela diz:
te amo


ele diz:
também te amo!

12.12.10

relendo os 26 anos... surpresa!

Postado por Yuna Ribeiro
estou escrevendo essa carta pq tenho pensado bastante em nossas últimas conversas e como cada um tem suas limitações, eu tenho as minhas, e acho que me expresso melhor escrevendo.
bom, primeiro gostaria de te passar alguns trechos relacionados as discussões que tivemos:

"não quero nunca renunciar a liberdade deliciosa de me enganar"

"hay que endurecer, pero sin perder la ternura jamás"
Ernesto Che Guevara

"talvez o ser humano não seja somente o ser social como alguns sociólogos nos querem fazer crer, mas seja também estar ativamente trabalhando contra essas forças sociais que querem reduzir nossa vida social a um mínimo. Talvez não fossemos humanos se esta tarefa pudesse ser feita de uma só vez. É, precisamente, a necessidade permanente de lutar que dá à vida humana um significado perene."
Johan Galtung

Segundo, estou te escrevendo pq vc fez parte do meu desenvolvimento aqui, passei a conversar com vc num momento que me sentia muito deslocada e isolada (muitas vezes ainda me sinto assim), conversamos sobre trabalho, mas principalmente sobre nossas vidas, de certa forma passei a me preocupar com vc, relevei algumas dificuldades em relação ao seu jeito de se relacionar com as pessoas, muitas vezes discordamos, mas me esforcei para não quebrar um vínculo que considerei ser de amizade.

No entanto, ultimamente não tenho me sentido bem em nossas conversas. O meu jeito de lidar com isso é sendo sincera, o seu vc é quem sabe!! rsrs

A verdade é que eu tenho 26 anos, cuido do meu filho de 6, praticamente sozinha, já trabalhei em vários tipos de lugares e tive que lidar com todo tipo de gente, já passei por lugares muito piores e melhores, e acredito que estou sempre tentando melhorar, aprender e trabalhar com o que acredito. Não me deixo estagnar e pretendo continuar assim, e estou muito feliz com meu trabalho, trabalho com pessoas que admiro e com quem estou sempre aprendendo. E se em algum momento isso mudar e a situação daqui não ser boa para mim, pode acreditar que vou atrás de coisa melhor, dentro ou fora da USP, assim como já fiz muitas vezes em outras situações. Ou seja, acredito que minhas conquistas são de meu mérito, e minha vida nunca foi só de flores, prezo imensamente a minha qualidade de vida, poder falar a verdade e ser quem realmente sou, aceito os benefícios e prejuízos disso.

Portanto, até instintivamente, quero ficar próxima de pessoas que me fazem bem, que não perdem a ternura nas palavras mesmo quando discordamos e que, principalmente, ficam felizes por mim quando estou bem.

Quanto as questões políticas, sei que tenho uma infinidade de coisas para aprender, e estou buscando isso sempre, participo a minha maneira conforme o que acredito e conforme me sinto capaz, mas independente do que determinam as leis eu sou um indivíduo e me dou o direito de seguir o que acredito, enquanto não estiver preparada, capacitada e de acordo para participar ou enfrentar o que determinam as leis, sigo no meu processo de aprendizagem, atuando no que posso contribuir.

De alguma forma (pode ser ingênua ou idealista) acredito em espíritos livres (conceito usado por Nietzsche) e enquanto puder vou continuar acreditando, e isso está acima de qualquer lei.

A verdade, é que para algumas situações não existem soluções, o que vc vai fazer com essas palavras é por sua conta, se preferir pode jogar no lixo, eu fico aliviada de poder e ter coragem de ser sincera mais uma vez, com minhas qualidades e defeitos.
em tempo...

"É chamado de espírito livre aquele que pensa de modo diverso do que se esperaria com base em sua procedência, seu meio, sua posição e função, ou com base nas opiniões que predominam em seu tempo. Ele é exceção, os espíritos cativos, a regra; [...] De resto, não é próprio da essência do espírito livre ter opiniões mais corretas, mas sim ter se libertado da tradição, com felicidade ou com um fracasso. Normalmente, porém, ele terá ao seu lado a verdade, ou pelo menos o espírito da busca da verdade: ele exige razões; os outros, fé."
(F. Nietzsche - Humano Demasiado Humano)

Massacrados pela multidão, pela solidão

Está certo eu não sei bem o que quero  da vida, mudo o tempo todo, não sou uma, e a cada dia descubro outra dentro de mim, querer que alguém, um homem, acompanhe esse ritmo, se entrose nessas mudanças todas e me ame a cada nova mulher que resolva acordar em mim, deve ser, só pode ser, querer demais.

Não consigo e nem posso definir e delimitar o que sou e o que quero, simplesmente não posso porque não consigo, não sei bem, talvez não queira. A liberdade grita dentro de mim, querendo sair e ousar o tempo todo, ela não saiu ainda só porque o medo foi maior até agora. Sinto que o tempo do medo está acabando, não quero mais ter medo, não consigo mais me deixar dominar pelo medo, peguei o medo com as mãos e como carne crua o arranquei de mim, atirei pra longe. Posso sentir seu cheiro, me incomodo com sua presença, mas já não está dentro de mim. 

O mundo é outro agora, eu sou outra, a vida me parece vestida de chance, de sonho, de desejo. Quero agarrá-la nas mãos e deixar que me tome, que me envolva, que me devolva a alma, o espírito, o sentido... o significado de estar aqui.

Como é viver assim com os outros?

Ser estranha e não aceitar mais as amarras da vida de medo, ser sonhadora, e acreditar num outro jeito de existir, de ser e de estar no mundo. 

Tenho existido com um pé lá, outro cá, me dividindo numa democracia que não acredito e que não me faz bem. Outro dia, numa fala do Chico Whitaker, entendi o verdadeiro significado de democracia, decisão da maioria, representação, eleição - significa escolha, DIVISÃO, escolha entre necessidades legítimas, não me peça para escolher entre necessidades legítimas, eu quero e só posso existir inteira, eu sou mulher, sou mãe, filha, irmã, amiga, sonhadora, agente política, social, sou indivíduo, sou coletivo...

Pode ser complicado conciliar isso tudo, mas enquanto deixar algum desses "eus" de lado, me sentirei pouca, fraca, mentirosa, meia.

Paralelo à isso, diante disso, existe um mundo lá fora, caótico e conturbado, em uma ordem tão rápida quanto sem sentido, e não posso me desconectar desse mundo, escolhi estar conectada com seu destino e seu futuro, além de qualquer outra ligação que possa ter, tenho uma ligação concreta e indissolúvel, de carne e osso, o meu filho.

Que mundo estou construindo para meu filho, se hoje sinto que muitas coisas estão erradas, são injustas e impossibilitam uma forma de vida inteira e digna, se não bater o pé num outro caminho, que será da vida do meu filho e de todos os filhos do nosso tempo.

A minha geração está experimentando um massacre silencioso e doloroso, o de não poder existir inteiros. O de estar no meio da multidão, sufocados pela multidão e ser absolutamente sozinhos, sem laços sociais, sem empatia e sem felicidade.

"A felicidade só é real quando compartilhada" 
Na natureza selvagem, 2007, filme de Sean Penn baseado no livro de mesmo nome escrito por Jon Krakauer, sobre a vida de Christopher McCandless.

Não quero mais me isolar, simplesmente porque não posso, preciso existir e quero ser feliz, não me resta outra possibilidade, senão compartilhar...

(Está cada vez mais difícil dividir essa vida com esse homem, não temos uma grande solução, o que temos é só o caminho e não consigo dividir esse caminho com ele.
Em outros tempos ele seria o homem que me trancaria dentro de casa, me isolaria da vida, como louca, insana.)

25.11.10

Criando espaços

Ontem foi um dia intenso, além da conversa com a Camila em que falamos sobre a crueldade que é termos que escolher entre sonho e realidade, que são legítimos e que não seremos inteiros sem. Sobreviver e sonhar. As duas coisas são legítimas e pensar em abrir mão de alguma delas é cruel.


Mas então, além disso, no decorrer do dia aconteceram muitas coisas que mostram cada vez mais como está, a cada dia, mais cruel viver nessa Onda (Sistema) vigente.

Se lamentar. Não é isso que eu quero, meu projeto, meu sonho, consiste em encontrar sinceramente e junto com outras pessoas alternativas possíveis. Não aceito não como resposta, não venha me dizer que só nos resta a adequação a essa loucura, sei que não vou me contentar com meia vida, com sobrevivência. Existe um universo dentro de mim, grande e intenso, não existe a possibilidade de contê-lo, ele quer sair e ser.

Tenho medo, mas sei que é esse o caminho que quero, só preciso encontrar espaços e formas para isso acontecer.


Em outras três conversas ontem, tive a confirmação latente, não estou sozinha, isso existe e é real dentro de outras pessoas também. Outra forma de vida está se tornando fundamental, o sistema não está conseguindo sufocar o que existe dentro de nós.


Manifestações físicas dessa realidade interior estão explodindo em nossos corpos, olheiras, lágrimas, enjôo, mal estar, dor no peito, paralisação dos movimentos, não temos mais vontade de acordar. Nossos corpos estão gritando, não estão contentes e precisam libertar essa força que existe dentro de nós.


O mundo não para, mas nossos corpos param se não dermos atenção a essas manifestações continuaremos no caminho do nada faz sentido.


ETs ou não, loucos, esquisitos, diferentes, ou quem sabe, especiais, precisam de seu espaço nessa vida, precisamos garantir o nosso desejo intrínseco de sonhar, de poder olhar nos olhos, ouvir e ser ouvido, se sentir parte de algo que faça sentido para a nossa lógica interior. Não mais para essa lógica irracional e desumana que invade nossas vidas violentamente.


Precisamos ouvir o silêncio, precisamos vivenciar o momento, catalogar imagens de momentos vazios não faz mais sentido.


Queremos saber das pessoas, de suas histórias de vida e de suas experiências. Queremos sentir a energia de cada um e não do coletivo inconsciente.


Eu quero ter o direito de seguir na direção contrária, de parar e agir conscientemente, não quero mais ser carregada por metas e objetivos que não são meus. Não quero metas e objetivos, quero sonhos e desejos.


Criar espaços para a existência real, criar espaços de respeito ao outro e a nós mesmos, para uma conversa verdadeira, para cuidar e amar o outro e vice-versa, para a gentileza, criar espaços para vivermos o nosso tempo, o tempo da experiência.


Acredito sinceramente, é a única forma de escapar do vazio.


Aos amigos queridos com quem tenho compartilhado momentos valiosos de experiência e bem estar. O meu agradecimento, graças a vocês ando muito mais feliz e com a vida cheia de significados!!

16.11.10

hoje é o começo da minha vida resolvida!!!

inferno astral foooooora!!!

essa é a minha lista que vou encher de tiques:

* chegar cedo em casa
* conversar com o Caio sobre o temperamento intempestivo de ultimamente - encontrar um acordo - acho q sim! espero q sim!
* deixar nossas coisas em casa organizadas - + ou -
* ajudar o Caio a se organizar nos estudos das provas finais
* acordo com o Caio sobre tarefas diárias autônomas (banho e lição de casa)
* jantar

* dormir cedo (tomar chá de camomila e fazer coisa tranquilas e relaxantes antes de dormir!!) - quase!

* acordar cedo
* tomar café da manhã (de verdade) com o Caio

* NÃO demorar para sair
* chegar CEDO no trabalho - um pouco mais cedo sim!
* almoçar de verdade - sim!

* resolver pendências da divisão
     - Ofs. cancelando auditórios FMVZ e Poli
     - Organização geral da divisão, pastas e materiais
     - Acertar local Fórum 9/12 e enviar of. diretoria do CEPAM
     - Processos Fórum 1ª e 2ª Ed.
     - Planej. Serv. café para 2011

* continuar e concluir proposta de desenvolvimento/Educação Corporativa
* definir se e qual formação complementar eu quero
     - MBA Gestão de Pessoas :(
     - Desenvolvimento Humano?
     - Pedagogia Social??
     - Instituto Fonte?
     - Poder local!! uhu!! ??
     - Promoção Cultural!!
     - A literatura armênia na contradição do contemporâneo sobre a análise de lacan e Marx... hehe

* depois de entregar a proposta marcar minhas férias jan/2011

* arranjar um dia/tempo para terminar as sacolinhas
     - cortar todos os tecidos
     - fazer todas as 1ªs costuras e fechar
     - colocar fitas e detalhes

* viagem jan/2011? para onde? quanto posso gastar?

* pensar em alguém para ficar com o Caio de manhã em 2011

* organizar melhor meu $ para matrícula, taxa de material, lista de material, aumento da escola, livros...

* agenda 2011

* presentes

* aniversário Caio 26/12

* festa final de ano??

* casa nova 2011...

9.11.10

Ballet Adulto - Espetáculo

Escrevo esse e-mail para dizer o que vc já deve ter percebido, eu não estou conseguindo ir nos ensaios, e portanto, por este ano não vou participar do espetáculo. Porém quero deixar muito claro que não participarei em cena, mas participo em espírito, alma e coração!

Emitindo muita energia positiva para o sucesso total! E pronta para aplaudir esfuziantemente!


Por que??


Porque o sucesso total desse espetáculo não significa não cometer erros.
O sucesso total significa compartilhar com nossos familiares e amigos esse sonho tão bonito que é a Escola de Ballet Adulto, que é muito mais do que aprender a técnica e modelar o corpo.


Nesse sonho nos permitimos um novo estilo de vida, para além do cor-de-rosa. Colorido, neon, fluorescente e brilhante!


Cheio de lágrimas, desafios e milhares de sorrisos!!!
Resumindo um estilo de vida repleto de alma...
no qual mulheres e homens adultos entram na sala de aula com sua história, experiências e bagagem.


Essa bagagem no início pesa nas costas e dá dor de cabeça, no pé e em lugares que agente nem sabia que existiam...
mas com um pouquinho de pó de pirlimpimpim, muitos sorrisos radiantes e olhos atentos da tia Karen, mestra, bailarina, conselheira, bruxa, fada, mulher, musa, louca, sonhadora e realizadora, Karen Ribeiro, tudo começa a ficar mais leve!


As costas ficam cada vez mais firmes e retas, o rosto altivo e iluminado, os gestos leves e graciosos.
Tudo começa a ser possível, a chance passa a existir e ser real, o sonho pode se concretizar.
E se concretiza a cada aula, nos permitindo ser bailarinas e bailarinos.


Nos permitindo ser inteiros com nossos erros e acertos.
Nos permitindo enfrentar o medo do giro, do salto, do passo adiante e da vida!


Querida Karen o amuleto, mandinga, simpatia ou prece, mais valiosos com que vc pode contar todos os dias é o amor, carinho e admiração de seus alunos e amigos!! Tenho certeza que esse sentimento é imenso em todos que passam por suas aulas e por sua vida!


Além de participar de alma e coração me coloco a disposição para ajudar no dia do espetáculo, como apoio, se precisar de gente para receber as pessoas, costurar alguma coisa, ou sei lá, no que estiver ao meu alcance! Estou fazendo as sacolinhas com todo o carinho!

Grande beijo!

Yuna

29.10.10

perdida...

um dia de resfriado em casa
um filho com febre, que não gosta de ir para escola, lindo e inteligente
uma proposta aberta e totalmente indefinida para gestão de pessoas na cocesp, possivelmente com um chefe intragável
uma dri que vai virar ari
um amor cheio de dúvidas que não liga e nem faz nada se falo para ele ficar longe
um jogador de poker profissional
um feriado com eleição no meio em que provavelmente vou votar nulo
uma vida sozinha
uma vida difícil
a vida gosta de quem gosta dela
uma sessão de análise lacaniana adiada
uma lista de tarefas sem tique nenhum
um nariz vermelho e enjoo no estômago
nenhum plano concreto para os próximos dias, meses e anos
um mar de dúvidas...

25.10.10

alguma resposta?

já te peço desculpas e paciência porque esse e-mail vai ser grande, espero que você leia com atenção e carinho.


1º Eu te desculpo sim porque eu te amo e amar é aceitar também os defeitos do outro e aceitar até mesmo quando ele te machuca.

2º Não considero o que você falou como besteiras, pois ouvir essas palavras duras e frias não é fácil, machuca de verdade, dói e desgasta o nosso amor, naquele dia me senti como se tivesse levado uma surra e precisei tomar mais de 1 comprimido para dor para conseguir dormir. Portanto espero que você tenha mais responsabilidade sobre as "besteiras" que fala para qualquer pessoa, sobretudo para mim, que te amo.

3º Eu também pensei em você o tempo todo esse final de semana, fiquei imaginando como seria a minha vida sem e com você, isso dói também, foi muito ruim perder o chão. Cheguei a conclusão de que eu tenho dúvidas sim, confesso, eu não tenho certeza se vou conseguir viver com você. Acredito que muitas vezes somos muito parecidos e muitas vezes somos completamente diferentes. Não sei qual é a fórmula para dar tudo certo, mas acredito que precisamos acima de tudo ter muito amor, paciência, respeito, cumplicidade e carinho, para ter chance de dar certo.

4º Para todas as minhas dúvidas só tive uma resposta: EU QUERO TENTAR, eu quero fazer tudo que está ao meu alcance para dar certo, eu quero me dedicar e amar cada vez mais esse homem e essa vida que podemos construir juntos.

5º A dúvida que continua e que a resposta de forma verdadeira e responsável fará toda a diferença é: você está disposto a tentar? quer se dedicar de verdade para que agente tenha chance de dar certo??? entende a responsabilidade e esforço que é preciso para dar certo???

6º Acredito de verdade que se agente se esforçar e acertar nossas diferenças podemos ser muito felizes, podemos ter infinitos momentos de alegria e de amor, podemos ser um casal, podemos ser uma família.

7º Não sei como levar a nossa vida juntos agora, você mais do que qualquer outra pessoa sabe como cheguei no meu limite já a algum tempo, não consigo mais lidar com a falta de privacidade e de espaço. Não tenho um lugar meu e nem um lugar nosso, só tenho a esperança de uma vida junto com você, quem sabe, se tudo der certo, o ano que vem. Por isso, eu não sei de verdade como viver até lá.

Ao mesmo tempo, a vida é valiosa e não podemos só esperar o amanhã, não temos a garantia do amanhã, hoje pode ser nosso último dia e tudo pode acontecer até fevereiro de 2011.

Já tive mil crises, comecei a fazer balé, estava planejando uma viagem, não paro de inventar coisas, tudo para conseguir chegar até o ano que vem, estou quase ficando louca com as interferências na minha casa, também não me sinto a vontade na sua casa. A única coisa que eu tenho certeza é de que eu não quero continuar essa vida desse jeito.

Não quero que você me ligue fingindo que nada aconteceu, eu não consigo fazer isso, eu não quero continuar nosso relacionamento como tem sido até agora, se eu pudesse adiantaria o tempo, mas não posso, então te pergunto: como vamos continuar juntos??? eu preciso da sua ajuda para encontrar uma resposta... por enquanto a única coisa que passa pela minha cabeça é darmos um tempo até podermos ter a nossa vida de verdade juntos.

Não sei de verdade o que fazer, por favor me ajude a encontrar uma forma saudável e feliz de continuarmos juntos.


Tenho 27 anos, faço um tratamento para o diagnóstico de Distimia. Já tentei fazer o acompanhamento psicológico, mas não me adaptei.


Sempre tive uma personalidade extremamente questionadora e vivo quase que constantemente em conflito. Sempre em dúvida se preciso me adaptar ao mundo ou se o mundo é que está todo errado, ainda tenho dúvidas sobre a medicação que tomo, as vezes penso que nada faz sentido.

Tive um filho aos 20 anos, hoje ele tem 7 anos e sinto que não tomo atitudes mais drásticas por causa dele, é como se ele fosse a minha ligação com esse mundo, ao mesmo tempo já tenho constatado como ele já começa a sofrer por ser diferente e sensível demais em algumas situações. Sinto um misto de medo e orgulho dele estar absorvendo o meu modo de viver e encarar a vida.

Estou muito interessada em uma espécie (??) de análise que possa me ajudar a lidar com todos esses conflitos e dúvidas sobre tudo!!!

8.10.10

A mulher de bigodes

A mulher de bigodes me atendia todos os meses com seus olhos escuros e batom vermelho, alta, com o cabelo preso despreocupadamente, desarranjado, usava jaleco e blusa tipo segunda pele.
A mulher de bigodes não era simpática, nem rude, tinha um olhar vago, parecia triste.

Encontrá-la todos os meses era o que havia de mais real naquela experiência, eu passava todo o tempo esperando pelo seu olhar e por ver seus lábios de batom vermelho movimentando palavras-respostas.

Ela usava um relógio fino de pulseira feita de couro marrom, os ponteiros dourados sempre paravam por aqueles segundos em que sua voz saía em câmera lenta, distorcida pela minha concentração fascinada.

Depois daquele mês de outubro nunca mais vi a mulher de bigodes.

4.10.10

toooodo mundo! toooodo mundo quer a vida que um gato tem!!!

da semana passada para cá, tive uns altos e baixos, mudanças o tempo todo no trabalho, nem todas parecem boas, algumas caras feias e tortas, na sexta foi a gota d'água... sai do meu estado de espírito contemplativo e otimista às coisas boas da vida, me desestruturei, fiquei angustiada, é difícil não ser uma esponja. quando estava começando a me acostumar com a falta, falta de uma pessoa muito querida e que estava preenchendo os meus dias com muita risada e cumplicidade, parece que a dura rotina não estava afim de dar trégua, despejou mais confusão, mais baixas, mais estresse sobre nossas cabeças.

desliguei o botão trabalho, na medida do possível consegui desligar...

ufa! existe vida!
existe cinema com pipoca!
existe bochecha fofinha e quentinha de caiuxo pra apertar contra o rosto, pra ver o gordinho se formando quando abre o sorriso banguela de janela quase fechada dos dentes que estão nascendo!!!
existe sorvete misto com cereja e calda de morango pra dividir!
existe namorado pra não sentir frio nesse tempo nublado!
existem dedinhos animados para apertar as teclas da urna eletrônica! eu e o caio votamos direitinho!
existem pessoas e gatinhos queridos para visitar! comer cachorro quente e bolo de chocolate, fazer cafuné até dormir, ouvir histórias bizarras e sanguinolentas!!! dar muita risada!

conclusão do fim de semana: everybody wants to be a cat! Aristogatas

aiai com esse post lembrei da música do Baloo do Mogli, que música deliciosa, vale a pena ouvir!!! necessário, somente o necessário

30.9.10

Surpresas do ballet

Arte é transpiração, sim muita, emoção, inspiração, desafio, surpresa e muito pó de pirlimpimpim!!!
Olha só como a minha professora voa longe! rsrs


27.9.10

consciência desperta

"existe sempre uma correspondência entre corpo físico e realidade interior. Sendo assim, é necessário saber como e onde está nosso corpo a cada momento, e como cada parte se relaciona com o resto do corpo e com as sensações interiores"

"é preciso estar presente dentro da própria pele, o tempo todo"

"Todo pensamento tem movimento, afirma Angel, e este repercute no corpo diretamente."

"ver é mais um problema de coragem, quando se trata de enxergar o que não queremos que seja visto"

"a cada instante somos substancialmente outro"

Enamar Ramos citando Angel Vianna e Yoshi Oida no livro Angel vianna: A pedagoga do corpo

8.9.10

"a alegria é a prova dos nove"

não passo ilesa pelas pessoas, vidas, palavras, imagens que cruzam meu caminho, a cada encontro sou outra, sou mais ou sou menos, tenho novos sonhos, lembro de vontades antigas, encontro novas vontades, sou alegre, sou triste, maior ou menor, a cada encontro tenho uma voz, tenho um rosto e a cada dia uma marca toma conta de meu corpo, um roxo de batida, uma marca de sol, as mãos mais secas, um fio de cabelo branco, um olhar misterioso, um pesar nos ombros, uma expectativa nos gestos, cor na roupa, lábia na fala, sabedoria nas atitudes, paciência na vontade, desejo na preguiça, tudo o que passa por mim tem seu efeito positivo ou negativo, a nulidade não existe em mim, sou como uma esponja pronta a absorver, beber todo o líquido que se aproxima, me expandir e me espremer ao menor sinal de movimento em minha direção, no sentido contrário, para os lados, diagonais, transversais, para o horizonte, para dentro do umbigo.
sou egoísta e pego tudo para mim, me aposso do que quero, engulo junto o que não quero, sou suscetível, não presto, não quero, pago caro por isso.

16.8.10

fora de órbita

muitas vezes me sinto fora de órbita, descolada do tempo e do espaço, perdida, numa rota inversa, contra a ordem, contra tudo... atrasada, perdida, desesperada, as rédeas escorregadias, o tempo nublado, o frio cortante, tudo contra, do contra, para o outro lado.
esse final de semana frio foi a não realização de toda expectativa que criei e para completar a falta de sintonia me desencontrei totalmente com o Wil, com a vontade de acontecer e de fazer. Acho que era o clima vigente, já começou na aula de ballet, com uma preguiça geral, uma vontade de jogar conversa fora, um gatinho manhoso para desviar nossa atenção.
em casa muitos cobertores, um sofá sedutor e filme água com açúcar na televisão.
tudo bem, a bubica tentando me acalmar, todos tem um fim de semana preguiçoso de vez em quando.
mas não é só isso, uma sensação incomoda não me deixa, não me deixa ficar tranquila, essa falta de encaixe, a dureza das coisas, me sinto deformada tentando me encontrar nessas formas rígidas e frias, me sinto feita de matéria maleável, quente, que a cada embate perde seu calor e força vital, minha maleabilidade perdendo sua função original, desvalorizada diante dos padrões e das exigências.
meu filho, minha cria, minha continuação, tão perdido quanto eu, talvez mais perdido, sem saber que referência seguir, sentindo o gosto de ser um pouquinho diferente, as vezes de um jeito bom, as vezes de um jeito ruim, sensibilidade a flor da pele, sua carne é mais maleável ainda e sem a consciência disso tudo já sente o desconforto de se encaixar em formas tão rígidas, perdendo seu calor, perdendo seu viço, perdendo a vontade de interagir com o mundo.

11.8.10

meu filho é metódico!!

ontem estava a beira de um ataque de nervos e com a ideia de um post: "meu filho não quer ir para escola, o que eu faço!?", já estava pensando que a professora é uma insensível, fria e cauculista, que o sistema de aprendizagem é uma forma de adestramento repressora, coitadinho do meu pobre filho que sofre por ser diferente, criativo e um pouquinho DDA talvez... em tudo isso tem um pouco de verdade, maaas sair esbravejando e colocando meu filho no colo não vai ajudar em nada!
Conversei bastante com ele ontem, consegui chegar cedo, e percebi que algumas coisas estão muito bagunçadas e que precisamos de um pouco de rotina. Lembrei de quando era criança e fazia fichinhas com meus horários de fazer lição, estudar, tomar café da manhã e outras coisas, por minha conta, ninguém me ensinou ou pediu para fazer isso, e na bagunça que era a minha casa e a nossa vida, eu me sentia bem com essa ordem que dava para o meu dia.
Fizemos um trato, eu preciso chegar mais cedo em casa para jantarmos juntos e fazer parte das lições, de manhã eu não posso ir embora sem antes dar tchau, beijo, abraço, as vezes quero que ele aproveite um pouco mais o sono, mas combinamos que ele não gosta de ficar dormindo até tarde (afff... rsrs). Definimos mais algumas coisinhas como a hora de fazer lição de casa... ele ficou feliz da vida, parece que vai dar certo, vamos ter que nos esforçar para cumprir o trato, mas acho que isso faz com que ele se sinta mais seguro.
Hoje na hora do almoço perguntei se estava tudo certo para is à escola, ele estava com a voz receosa, mas sem chorar, espero que fique tudo bem.

28.7.10

ser mãe é nunca ser suficiente

nunca, disse aqui outro dia que preciso aceitar não poder ser 100%, ser mãe e ainda ser humana é ter que aceitar não ser nem 50%, nem sei lá quantos %, o primeiro pensamento quando alguma coisa dá errado é que não fiz o suficiente, não fui suficiente, não dei conta, não prestei atenção, não tive a dedicação necessária...
resfriado, machucado no dedo, alergia, nota ruim na escola, briga com algum amigo, cara feia, cabelo no olho, roupa suja ou remendada, falar "não" sei lá quantas vezes por dia, ter paciência para dar explicação do que agente nem sabia que existia, comprar figurinha, trocar figurinha com marmanjo na Av. Paulista para completar álbum de mais de 600 caras de jogadores que vc e seu filho nem fazem ideia de quem são.
ah, mas isso é o dia a dia, a gente vai tropeçando mas vai...
a agonia é no dia em que um médico que não tem a menor noção do seu caminho até chegar lá, olha no relógio e da uma respiração pesada, nem olha na sua cara e nem olha para o rosto amassadinho do seu filho que sempre passa mal no ônibus, entra na sala na sua frente e olhando para a ficha, a consulta é ler ficha, prontuário, dar mais alguns rabiscos pra depois dizer que: a sua criança de 7 anos que está com todos os exames em ordem e que os tratamentos não surtiram o efeito esperado precisa fazer um procedimento simples para retirar a adenoide.
*tradução* como eu-mãe escuto essa frase: o meu filhinho, de SÓ 7 anos, que vai muito bem de saúde mas que vive com o nariz entupido e respirando pela boca, que teve que usar durante anos um puff irritante no nariz, que a gente nunca sabia direito se estava entrando realmente aonde deveria entrar, e que como não resolveu nada ele vai ter que passar por uma cirurgia, com anestesia geral, passar o dia no hospital, talvez a noite, voltar para casa todo enfaixado, com dor, sangue.
eu chorei na recepção na hora de marcar. não se preocupem, ele não percebeu.
posso parecer dramática, mas só venha me falar alguma coisa se vc for mãe e já tiver passado por isso.
ainda não decidi o que fazer, mas não tenho certeza se podemos passar por isso de novo no mesmo lugar...
minha ingênua esperança é encontrar um guru mágico que me passe uma receita de formigas fritas, patuá no pescoço e xarope bem azedo para nunca mais ver meu filho espirrar ou ter falta de ar.


27.7.10

um dia cinza

quando o dia está cinza eu fico lenta, com vontade de me encolher, ficar pequenininha e quieta, se eu pudesse não sairia de casa, ficaria no sofá com minha caixa de tecidos, fitilhos e agulhas...
um chá bem quente e estaria tudo perfeito.
ontem na aula de ballet, quebrei a cabeça de tanto pensar, que exercício acertar os passos, a contagem e acompanhar a tia Ká, terminei a noite exausta.
hoje estou com uma "ervilha debaixo do colchão" uma ansiedade sem motivo, sem explicação, uma sensação de que alguma coisa está fora do lugar (eu!? provavelmente), continuar um dia com vontade de que ele termine faz perder todo o sentido de ser, de existir.
queria ser assim ordinária e pensar "a esperança é a última que morre" mas hoje principalmente hoje, não consigo.
hoje não sirvo para nada e em meu papel obsoleto e inútil quero desaparecer, puff, sumir sem deixar pistas, atravessar um portal qualquer, entrar em mim e ficar, só voltar quando o tempo abrir...

22.7.10

balanço

A Aninha, uma pessoa muito especial e querida, escreveu outro dia um post sobre a crise dos 30, estava pensando hoje no caminho para a USP nas minhas crises dos últimos tempos, crise dos 27/28, tão parecidas com a dela e fiquei devaneando, acho que essa crise não tem só relação com a idade, tem mais relação com o compasso da vida que levamos, mais do que com qualquer outra coisa... bom, vou continuar, mas falando por mim:
eu tive filho com 20 anos, muito cedo, para a média das minhas amigas, aliás, das minhas amigas do tempo da escola, nenhuma teve filho ainda...
quando todas estavam correndo atrás de faculdade, experiência profissional, experiência em línguas estrangeiras, namorado, vida social, em fim...
eu estava contando os dias, meses e anos para terminar a faculdade que não foi minha 1ª, nem 2ª, nem 3ª escolha, estava procurando estágio mais com cara de emprego para pagar as contas do que para aprender, me sentia culpada por não poder ficar mais com o Caio, por não mudar meu caminho profissional por medo, por querer ter vida própria e ser uma jovem de 21 anos pelo menos de vez em quando, namorar, ficar sozinha, desenhar, escrever e sonhar...
a trancos e barrancos tudo caminhou bem, hoje consigo aproveitar melhor meu tempo com o Caiuxo;
aceito que não sou a mulher-maravilha e que não dou conta de tudo 100%;
graças a faculdade, que não gostei nem um pouco de fazer, consegui um emprego onde tenho liberdade para seguir outros caminhos, outros sonhos e cada vez mais me aproximo das coisas que realmente gosto;
meu relacionamento amadureceu sem perder a graça e o friozinho na barriga;
logo logo vou ter meu espaço, com a minha cara, com a carinha do Caio, e do meu amor;
tenho duas irmãs lindas, com quem posso contar sempre, a que fica mais pertinho, a buba, é meu braço direito, minha irmã e alma gêmea, a madrinha do Caio, a única que poderia cuidar dele do jeito mais próximo ao meu, na minha ausência, ensinando a viver e a desfrutar a vida em seus pequenos detalhes e prazeres, a ser genuinamente bom, não para agradar aos outros, mas à sua consciência, a se desculpar e desculpar os outros de vez em quando, quase sempre erramos muito antes de acertar, e só assim é possível chegar aonde queremos. a buba sabe disso, fico feliz por ela estar começando a acertar seu caminho!
dos amigos, sinto o mesmo que a Ana, queria tê-los mais próximos, hoje quase tudo o que faço é com o Caio, não por falta de opção, mas por querer fazer e dividir as coisas com ele enquanto eu puder, no dia em que ele não quiser mais ou quiser menos, acho que vou sentir de verdade o peso da solidão (dramática!), mas é verdade, nesse aspecto estou em total descompasso com todas as minhas amigas, quando elas tiverem tomadas por seus filhotes o meu vai estar começando a seguir seus primeiros passos solo, em seu, só seu tom... vai precisar de espaço, e eu como sei muito bem o que é isso, vou fazer todo o esforço para respeitar.
de vez em quando tenho a alegria de ter esses amigos comigo e com o Caio, é muito bom mesmo, mas é tão pouco o que a rotina e o cotidiano de todos permitem, que quase sempre sinto um vazio com relação a isso...
ah, e tem o ballet, estou muuuito no comecinho ainda, mas já me sinto tão preenchida por ele, é maravilhoso encontrar uma forma de relaxar, trabalhar e se conectar com seu corpo de uma maneira que não agrida sua forma de ser, é um lugar onde deixo os problemas de lado, me envolvo com a música suave e com os gestos demorados, o tempo para nas mãos e pés que transpassam o ar e desafiam o impossível, se acharem melhor, nem levem em conta o que digo sobre o ballet, são palavras de uma apaixonada.
espero que tudo isso se transforme em amor...
para terminar, crise é crise, vem, parece que vai detonar com tudo, mas passa, pode ser que demore um pouco, acredito que a única forma de acelerar a sua despedida é não desistir de procurar caminhos, conexões, consigo e com os outros, quando as pessoas estiverem por demasiado inacessíveis, recorra à arte, aos livros, música etc. sempre aparece um caminho que dá certo! rsrs

20.7.10

o dia mais longo do ano = feliz





ontem foi um dia puxado, o mais longo, muita coisa no trabalho, discussões profundas, gente nova para receber, gente velha para conviver, tudo ao mesmo tempo...
cheguei em casa e encontrei minha irmã de looonge, a Marcela, muito bom chegar em casa e ter mais um par de olhinhos brilhantes para me receber, conversar sobre como foi o dia, sobre os planos para amanhã e para a vida toda, carreguei todos para o Studio Ana Esmeralda, o Caio deu umas piruetas envergonhadas, a Ju e a Marcela deram bastante risada com a minha professora delicada-forte-palhaça, saímos todos leves, com vontade de flutuar pela alameda, porém acabados!!
noite do pijama com sorvete de abacaxi para terminar, conselhos de irmãs preocupadas, descobertas de irmãs desinformadas, muita risada, um pouquinho mais de barulho do que o permitido, mas é que estava difícil conter a empolgação, o envolvimento.
feliz feliz!


15.7.10

saudades

"fiquei curiosa sobre o mestrado, que bom que está conseguindo ouvir, deve ser um aprendizado incrível mesmo, um talento que vale conquistar. você sempre com as moças mais jovens! rs
mas os homens podem ter filhos com muito mais idade, não é mesmo!?
a saudade deve ser das expectativas, da ilusão que representei um dia, assim como vc para mim... eu estou bem mesmo, encontrando novos caminhos, uma grande curiosa, o que me possibilita muitas descobertas, depois de adulta resolvi aprender ballet, estou adorando, as vezes desenho, escrevo, estou seguindo minha lista de leitura sem pressa, aproveitando cada detalhe, toda noite seguro um pouquinho a mão do Caio antes de dormir e trocamos declarações de amor como te amo mais que o universo, mais que uma magia é muito gostoso! rsrs"

14.7.10

Encarando

a entrada tem suas grades verdes e trabalhadas, uma escada leva ao corredor de um subsolo, um corredor de imagens fortes, antigas e novas, bailarinas e dançarinas de flamenco, uma mistura de delicadeza e força, tons suaves e vermelhos. ao fundo uma grande porta, um vitro na lateral, nesse vitro que tive a primeira vontade, dentro da sala o chão é de madeira rústica, marcada pelos saltos e pelo tempo, lisa, é uma sala comprida, à direita inteira de espelhos, à esquerda a barra segue de uma ponta à outra.

entre a barra e os espelhos ficam as bailarinas, sonhadoras, iludidas, decididas, determinadas, delicadas e fortes, hora deitadas em exercícios para iniciantes, hora de frente para o espelho encarando seus primeiros passos, ansiosos, desengonçados, esforçados, encarar sua imagem alongada em seu máximo, ainda pouco para o ideal, mas seu máximo naquele momento, exige grande esforço, encarar seus defeitos e suas virtudes, encarar as imperfeições, os vícios de postura, a falta de agilidade e de tenacidade, tudo isso sem perder a motivação, sem perder o gosto, sem perder o foco, segurando os olhos teimosos que insistem em olhar para o lado, querendo se comparar, querendo se vangloriar, sou melhor que esta e aquela, querendo me derrubar, como posso ser tão pior que tantas...?

a ideia inicial não é essa, preciso voltar, concentrar, manter a linha, a firmeza e o foco, o meu desafio é principalmente com o meu estado de espírito, lidar com minhas expectativas e inseguranças, encontrar meu equilíbrio, eu quero vencer, ultrapassar, não desistir.

eu quero e eu vou... teimosia afinal serve para o mal e para o bem!

12.7.10

Alongamento

alongar é preciso...
no sábado depois da minha aula de ballet, fiz um alongamento básico com a Ju e o Caio, foi muito gostoso, como as crianças são livres de travas e limites, o Caio é molinho molinho, estica para todo lado, ficou tão relaxado que no final já estava bocejando e com expressão zen, rsrs.
alongamento é quase um espreguiçar, as vezes com uma dorzinha gostosa de colocar as coisas no lugar!

8.7.10

Encontro

ontem voltei para casa feliz da vida, amei minha 1ª aula, na verdade estava com medo de, por conta das altas expectativas, não me encontrar... nanana
foi ótimo, senti que posso ser exatamente como sou, um tanto tímida, e poder aproveitar a aula, sim, doeu um pouquinho, em dois breves momentos, muuuito, mas vale, vale demais.
em casa me senti leve, com vontade de continuar, sentir as pernas esticadas, a ponta e meia ponta.
sinto que posso levar isso para minha vida e com muito gosto, sinto que posso fazer parte desse estilo, o principal, sinto vontade de aprender mais e de continuar.
fiquei realmente admirada com a professora, que corresponde e supera qualquer expectativa (saiba um pouco mais aqui), misturando graça com um jeitinho especial de ser engraçada, deixando todos muito a vontade.
sábado terei aula com um professor, espero já estar com minhas sapatilhas... ai que prazer só de imaginar! rsrs

7.7.10

Promenade - Ballet Clássico

me aventurando, eu vooooou! rsrs
por que não, por que nããããão!

sonho de criança é coisa que deve ser levada a sério, encontrei quem concorde comigo e vou à busca...

hoje, 9h, encontro meu destino e na expectativa das batidas do flamenco de ontem tento acalmar meu coração.

encontrar a força das saias em minhas pernas, a retidão da postura em minhas costas arqueadas pelo vício, pela sucessão dos dias, o olhar fixo como brincos de madrepérolas brilhantes, compridos, encostando levemente no pescoço, sem pesar nas orelhas, assim como o fio de cabelo que escapa e insiste em brincar com a sobrancelha, fazer cócegas nos olhos sem desconcentrar a dançarina.

9.4.10

eu sinto tudo

tanto tempo pra passar a vida vai e vai e volta...
eu sinto tudo
escrever
pintar as unhas de rosa chock
ser mãe e mulher e tantas outras coisas
eu fico surda para tudo
e escuto as batidas
o fogo
e me lembro da música das crianças
dos pés batendo no chão
no assoalho de madeira
escorregando as meias pela poeira brilhante do sol
as blusas de lã fina com ponto por desfazer

5.4.10

voltando de Pirassununga

3 dias no mundo paralelo do Campus de Pirassununga da USP, voltando!!! Dar bom dia para todo mundo, receber alguns sorrisos e abraços especiais, para uma segunda-feira está indo tudo muito bem.
Hoje passei num clínico geral, todos os meus exames estão ok, em Pira fiquei ótima, meu nariz destapou, comi quase certinho, conversei bastante, levei umas broncas, falei umas verdades, me senti um pouco mais parte de uma coisa, coisa que eu não sei muito bem o que é. Ainda não tenho muito claro o caminho a seguir, tive alguns sucessos e isso é bom.
O professor ... naufragou no segundo dia, foi um pouco estranho, acho que ele não estava se sentindo parte, ou só estava com problemas particulares mesmo, balançou corações e se foi. O outro professor encantado, que nunca que podia dar sua palestra, uma hora greve, noutra paralisação, desencantou. Falou e falou, e foi ouvido, encontrou ecos, tocou corações, acordou utopias. Falou de sustentabilidade, de cidadania, do papel de cada um, de todos.
O Alexandre suou a camisa, conseguiu fazer o povo falar, surpreendeu, dos certinhos aos da zona todos falaram, sobriamente falaram, cheios de sentido e de sentimentos.
Foi sim um ótimo encontro.
Agora muitas e muitas coisas por fazer, não deixar cair e nem quebrar o laço tão delicado de confiança.
Ah e dar muitas risadas com as fotos da festa!!